American Horror Story 6 – De volta ao terror

16/09/2016

American Horror Story resgata o terror na estreia de sua sexta temporada. O tema foi finalmente revelado, depois de uma série de teasers misteriosos. Trata-se do Pesadelo em Roanoke, que fala sobre a história de uma colônia dos Estados Unidos cujos habitantes desapareceram misteriosamente.

O episódio começa como um documentário, com a bela atriz Lily Rabe interpretando Shelby, uma mulher que sofreu um aborto natural e por isso resolveu se afastar da cidade. Ela conta a história do pesado vivido em Roanoke, ao lado de seu marido, Matt (Andre Holland). Então, paralelo ao documentário, somos introduzidos a uma “encenação” dos fatos contados, no qual Sarah Paulson interpreta Shelby e contracena com um Matt vivido por Cuba Gooding Jr.

Já na vida real, Roanoke é uma colônia fundada por britânicos nos Estados Unidos. Três anos após sua fundação, uma expedição inglesa descobriu que os 116 habitantes do local haviam desaparecido misteriosamente, sem sinais de que houve uma batalha. Sobrou no local apenas a palavra "Croatoan" cravada em uma árvore. Até hoje não se sabe o motivo do desaparecimento das pessoas na colônia, o que levanta diversas teorias relacionadas ao sobrenatural.

Com esse pano de fundo, American Horror Story se volta à tensão do terror, aos sustos, ao silêncio em cena, às câmeras bem localizadas e a uma atuação brilhante dos personagens em cena. O primeiro episódio consegue nos convencer a querer saber mais da história, e entra para o hall das boas premiers da série. Devemos lembrar, porém, que estamos falando de Horror Story, isto é, uma série focada no horror, que ao contrário do terror, tem mais apelo visual na violência e fantasia.

Vale lembrar que a série começou com forte peso no terror, com a primeira temporada Murder House. Dali em diante, eles se voltaram com muita força ao horror. A segunda temporada é repleta de referências fantásticas, a terceira temporada traz um apelo muito mais pop, enquanto a quarta retoma o horror com seu circo absurdo. A quinta temporada também está focada no horror, com muito sangue, violência e sexo. Ao que tudo indica, a sexta temporada tem sua base muito sólida no terror, mas o término do primeiro episódio já dá indícios que a fantasia e o horror também darão as caras.

Pesadelo em Roanoke já começa com os dois pés na porta, trazendo arrepios indesejáveis e uma tensão digna da primeira season. O formato estilo documentário dá um novo suspiro para a série e agrada muito, pois temos a oportunidade de ver os atores brilhando em suas interpretações. Agora é aguardar e torcer para que os próximos episódios mantenham a alta qualidade entregue neste primeiro, e que nos faça suar as mãos novamente, mas desta vez por medo, e não pelas belas curvas da Condessa.

Andy Rocka

Jornalista, estudou Psicologia,
foi social media do Pontofrio,
trabalhou em revistas de ciência,
como a Superinteressante e
Psique, mas sua paixão mesmo
é música e cultura pop.