Million Reasons ou A-YO, qual melhor single para Joanne?

28/10/2016

Para promover seu novo álbum, Joanne, Lady Gaga lançou dois singles promocionais, a balada chorosa Million Reasons e a dançante A-YO, uma mistura de funk com country, como você pode ler em nossa análise do disco aqui. E repetindo a dose da era ARTPOP, um dos singles promocionais da cantora deve virar sua segunda faixa de trabalho oficial.

Ainda na sombra da era anterior, a gravadora Interscope havia anunciando discretamente em seu site que enviaria A-YO para as rádios, como o segundo single oficial. Mas depois de apresentar as canções no SNL e no Carpool Karaoke, a faixa Million Reasons disparou para o primeiro lugar no iTunes americano, enquanto a outra luta para encontrar seu lugar no top 10. Provavelmente por isso, acredita-se que os planos tenham mudado. Mas, afinal, qual seria melhor como single?

Antes de qualquer coisa, vamos olhar rapidamente para o cenário mainstream da música pop, avaliar o papel de um segundo single e explorar as facetas da cantora. Começamos pelo começo, entendendo que, apesar da invasão do EDM, a música que mais vem fazendo sucesso nos Estados Unidos é Closer, do grupo The Chainsmokers, que apesar de ser essencialmente eletrônica, ela tem uma pegada downtempo.

Isso pode demonstrar certa saturação do gênero eletrônico, ou então uma tendência aos sons mais limpos e leves. O sucesso de Million Reasons está aí para provar que o público anseia por elementos mais orgânicos. Falando sobre a função de um segundo single, ele serve para reforçar a identidade do álbum, pois geralmente ele é lançado junto ou próximo ao disco e se promovem simultaneamente.

Em termos de identificação com o conjunto, tanto Million Reasons quanto A-YO representam muito bem o novo trabalho de Lady Gaga, porém, se em Joanne a cantora deseja se mostrar mais humana e vulnerável, a faixa balada cai como uma luva para esta missão. Entrando no mérito das facetas que Gaga já nos apresentou, Million também se destaca por ser um caminho novo para a artista no mainstream.

Lady Gaga é reconhecida pelos seus visuais extravagantes e suas músicas divertidas e agitadas. A-YO é a mais pura marca registrada da cantora, e como segundo single traria um estilo diferente de diversão visto no catálogo da loira, pois abre mão das enérgicas batidas eletrônicas para dar vez às guitarras e outros instrumentos que nos fazem querer dançar. Porém, Million Reasons foge do senso comum e da zona de conforto em que Gaga esteve durante todos esses anos.

Million Reasons é uma faceta de Gaga desconhecida do público geral. Por mais que You & I e The Edge of Glory sejam intimistas, elas são baladas para as pistas de dança. Reasons mostra uma versão de Gaga que só os fãs conhecem, explora todo seu talento vocal e ainda conta com uma letra profunda e uma melodia tocante. Piano e violão são os únicos instrumentos que acompanham os poderosos vocais da cantora e que, pasmem, muita gente não sabia que ela tinha.

Por ser um frescor em meio à overdose eletrônica, uma novidade na paleta de hits dançantes da cantora e uma canção que dialoga com a proposta do álbum de mostrar vulnerabilidade, Million Reasons é a melhor aposta em termos comerciais. Ao contrário do caso Venus e Do What U Want – que citamos no começo do texto como exemplo da era ARTPOP – Million Reasons não corre os mesmos riscos, pois não temos aqui uma letra polêmica, tampouco uma parceria com um acusado de pedofilia.

Ao invés disso, temos com Million Reasons uma Gaga cheia de paixão, que pode ser empática com diversos públicos e não apenas um nicho, uma canção que pode, deve e já angariou diversos novos fãs para a cantora. No final das contas, são milhões de razões para amar a escolha deste novo single.

Andy Rocka

Jornalista, estudou Psicologia,
foi social media do Pontofrio,
trabalhou em revistas de ciência,
como a Superinteressante e
Psique, mas sua paixão mesmo
é música e cultura pop.