A vitória de All Star 2 foi justa?

14/10/2016

A final de RuPaul’s Drag Race All Star 2 foi marcada pela presença do top 3 dos sonhos: Katya, Alaska e Detox. Uma coisa que todos estão de comum acordo é que Alyssa pertencia ao seleto grupo das quatro finalistas, porém, por uma escolha pessoal (e nada profissional), Detox manteve sua melhor amiga, Roxxxy Andrews, na parada.

O episódio começou relembrando esse fato, e a edição dedicou grande parte da primeira metade do episódio a explorar o grupo Rolaskatox. Jogando the T, sabemos que Roxxxy é a ponta mais fraca, e foi graças à polêmica regra das queens terem que se eliminar, que Andrews chegou tão longe, sempre salva por suas amigas.

No final das contas, percebemos que tanto para Alaska quanto para Detox era mais vantajoso ter Roxxxy nas finais, pois assim elas seguiriam como as favoritas. E deu certo. Com Alyssa e Tatianna saindo de cena, a única rival à altura seria Katya. Então, Rolaskatox “meio” que voltou, mas ainda é uma competição. E foi isso que as três frisaram boa parte do capítulo.

Superada essa questão, seguimos para o desafio da semana, que envolvia uma performance das meninas simulando ser uma Super Girl Band. Elas precisaram gravar um rap cada para uma canção original de RuPaul e ensaiarem um número de dança para apresentar no mainstage. Essa hora sentimos muito a falta de Alyssa, e o quanto ela poderia arrasar nesse desafio.

O resultado foi uma apresentação divertida, bem montada, com direito ao dançarino Mark Kanemura (que já trabalhou com Lady Gaga). Tudo que esperávamos do top 4 de um All Stars. A decisão final, é claro, fica por conta da Ru. Para isso, ela recorreu às críticas dos jurados da casa, que relembraram os bons momentos de cada queen pela temporada.

É nesse instante que fazemos um paralelo entre as jornadas de Katya e Alaska. Katya foi consistente do começo ao fim, enquanto Alaska teve altos muito altos, e baixos muito baixos. Escolher uma vitoriosa é ficar entre emoção e razão. No fundo, muita gente simpatiza com Katya por ela ter se ficado no topo por quase toda a season, ao passo que muitos criticam Alaska por ter eliminado uma favorita do público (Tatianna) e mantido uma amiga (Roxxxy) por causa de uma camiseta, além de ter surtado quando esteve no bottom 2.

Emoções de lado, sabemos que tanto Katya quanto Alaska são merecedoras da tão desejada coroa. Ambas se destacaram semana após semana, e até uma rixa saudável entre elas existiu. Portanto, podemos afirmar que a vitória de Alaska é sim justa, pois ela carrega méritos que conquistou sozinha. Porém, isso não significa que Katya não fosse merecedora. E quando voltamos a pensar com a emoção, dá muita vontade de coroar Yekaterina Petrovna Zamolodchikova, uma vez que sua conduta pelo programa é praticamente unânime de boa.

Ao contrário da The Other Tyra e o caso Raven, a disputa entre Alaska e Katya não deixa o gosto amargo de injustiça na boca, pois quando o topo carrega duas das mais brilhantes queens das oito temporadas do programa, sabemos que anusthing is possible.

Andy Rocka

Jornalista, estudou Psicologia,
foi social media do Pontofrio,
trabalhou em revistas de ciência,
como a Superinteressante e
Psique, mas sua paixão mesmo
é música e cultura pop.